• ter. abr 23rd, 2024

Seminário franco-brasileiro sobre refugiados e migrações | Casa de Rui Barbosa

ByJORNAL GÓIAS

jun 27, 2019

 

Nos dias 27 e 28 de junho, a Embaixada da França promove na Casa de Rui Barbosa (com entrada franca) o seminário franco-brasileiro “Hospitalidade entre ética, política e estética”.

A ideia é abordar as crises migratórias pelo viés da hospitalidade. Estão confirmadas as participações de filósofos, antropólogos, sociólogos, cientistas políticos, especialistas em políticas públicas ligadas ao tema dos deslocamentos migratórios, de governos e do terceiro setor; escritores, cineasta e curadores de artes plásticas que se debruçam sobre o tema da hospitalidade focando os aspectos político, filosófico, ético e estético (traduzido na arte – literatura, cinema e artes plásticas).

Debora Diniz

Quem abre o evento é a cientista política Catherine Wihtol de Wenden, da Sciences Po Paris, uma das vozes mais importantes da atualidade no tema. Tem também a participação dos escritores Milton Hatoum Patrick Chamoiseau, as curadoras Sandra Benites Anne-Laure Flacelière, o antropólogo Michel Agier e o escritor Philippe Ollé-Laprune, que fundou e dirigiu a Casa Refugio Citlaltepetl, no México.

 

 

 

 

 

 

Hospitalidade, do latino hospitalitas:

ato de hospedar, de acolher afetuosamente

 

Hospitalidade – entre ética, política e estética, colóquio que a Embaixada da França e Casa de Rui Barbosa realizam dias 27 e 28 de junho, com apoio da Aliança Francesa, vai reunir nomes de ponta da intelectualidade e na produção artística da França e do Brasil visando trazer luz – de vários pontos de vista – ao assunto. O evento tem entrada franca e é aberto ao público. Estudantes que se inscrevam (ver serviço) podem receber certificado de participação.

Michel Agier

Estão confirmadas as participações de filósofos, antropólogos, sociólogos, cientistas políticos, especialistas em políticas públicas ligadas ao tema dos deslocamentos migratórios, de governos e do terceiro setor; escritores, cineasta e curadores de artes plásticas que se debruçam sobre o tema.

 

São três pilares de discussão: o primeiro, a visão ética e política, na abordagem de filósofos e antropólogos; o segundo, o estabelecimento e a manutenção dos lugares de hospitalidade, pelo olhar de ONG, juristas, diretores de abrigos; e o terceiro, contando com criadores do cinema, das artes plásticas, da literatura e curadores, a tradução da questão pelo prisma artístico.

 

 PENSAMENTO, ARTE, ACOLHIMENTO

 

Entre os participantes estão Catherine Wihtol de Wendenn – uma das mais importantes pensadoras da migração na atualidade –, a cineasta Debora Diniz (de Hotel Laide), os escritores Milton Hatoum Patrick Chamoiseau, o antropólogo Michel Agier as curadorasSandra Benites e Anne-Laure Flacelière.

 

No fim do primeiro dia, haverá a exibição do documentário de curta-metragem Hotel Laide, dirigido pela antropóloga e escritoraDebora Diniz, que acompanha a história de três mulheres na pensão social Laide, um lugar aberto para o acolhimento de usuários de crack, na Cracolândia paulistana. O hotel fazia parte do programa “De Braços Abertos”, criado pelo ex-prefeito Fernando Haddad (PT), e foi destruído por incêndio de causas desconhecidas.

O seminário, portanto, parte da dinâmica da alteridade através do conceito de hospitalidade – a ideia de receber o outro em sua casa – para discutir as crises migratórias da atualidade. O confronto entre as noções de cidadão e não-cidadão num mundo transnacional aponta a persistência de um imaginário da fronteira nos conflitos por todo o planeta.

Pela primeira vez no Brasil, a francesa Anne-Laure Flacelière foi curadora da exposição “Persona grata” – um projeto que questiona a noção de hospitalidade através do prisma da criação contemporânea. A mostra ficou em cartaz (2018-2019) em dois lugares: no Musée National de l’Histoire de l’Immigration de Paris e no MAC VAL: um museu da sociedade que valoriza a criação contemporânea e um museu de arte contemporânea que examina os fenômenos da sociedade.

 

No encerramento do colóquio, dois textos serão lidos: um trecho da Declaração dos Poetas, do livro Frères Migrants, de Patrick Chamoiseau (tradução para o português de Ana Rossi – UnB) livro que “evoca fortemente a tragédia dos refugiados na Europa”, segundo o Le Monde, e de um trecho de um texto de Milton Hatoum.

 

“A comparação dos pontos de vista francês e brasileiro sobre essa temática me parece particularmente interessante na medida em que a França, país europeu confrontado com crises migratórias, está evidentemente e diretamente afetada por essa problemática”, afirmaAlain BourdonConselheiro de Cooperação e Ação Cultural da Embaixada da França no Brasil. “O Brasil também está, por sua história que foi construída, pode-se dizer, numa relação complexa com a hospitalidade: hospitalidade traída (colonização), transviada (migrações forçadas da escravidão), promovida (vagas migratórias, a partir do século XIX, para povoamento e desenvolvimento econômico do país) e imposta (migrações recentes vindas da Venezuela, do Haiti e da África Negra, cuja gestão pelas autoridades brasileiras foi até hoje exemplar)”.

 

PROGRAMAÇÃO

 

27 de junho de 2019

10h– 10h30 Abertura

– Antonio Herculano Lopes (Casa de Rui Barbosa)

– Silvia Sander (ACNUR – Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados)

– Pierre Buhler (Institut Français de Paris)

10h30– 11h30

Conferência de abertura: “Panorama das crises migratórias atuais”

Catherine Wihtol de Wenden (Sciences Po Paris)

moderadora: Joelle Rouchou (Casa de Rui Barbosa)

11h30–12h Perguntas

14h– 15h

Conferência: “Acolher o outro: fraternidade, solidariedade, hospitalidade”.

Newton Bignotto (Universidade Federal de Minas Gerais)

moderador: Adauto Novaes, filósofo, organizador do ciclo “Mutações”

15h– 15h30 Perguntas

16h–17h30

Hospitalidade entre ética e política

– Michel Agier, Institut de Recherche pour le Développement (IRD) – Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (EHESS)

            – Mohamed Elhajji, UFRJ

moderador: Ricardo Ferreira Freitas (UFRJ)

17h45– 18h30

Projeção do filme Hotel Laide e conversa via skype com a diretora, Débora Diniz

28 de junho de 2019

9h30–11h

Lugares de Hospitalidade

 – João Guilherme Granja (ENAP – Brown University)

– Charles Gomes (Casa de Rui Barbosa)

moderadora: Natalia Cintra (PUC/Rio – Casa de Rui Barbosa)

11h15 – 12h45

Lugares de Hospitalidade

– Philippe Ollé-Laprune (Casa Refúgio México)

– Benjamin Seroussi (Casa do Povo SP)

moderadora: Mônica Velloso (Casa de Rui Barbosa)

14h30–16h – Dar forma à Hospitalidade: Arte e Hospitalidade

– Anne-Laure Flacelière (curadora da exposição “Persona Grata” – MacVal)

 – Sandra Benites (educadora, curadora da exposição “Dja Gueta Porã”)

moderador: Marcos Veneu (Casa de Rui Barbosa)

16h30–18h

Dar forma à Hospitalidade: Escrita e Hospitalidade

– Patrick Chamoiseau, escritor

– Milton Hatoum, escritor

moderadores: Flora Sussekind (Casa de Rui Barbosa) Alain Bourdon (Embaixada da França)

18h– 18h30

Leitura, em francês e em português, da “Declaração dos Poetas”, do livro “Frères Migrants” de Patrick Chamoiseau – tradução em português de Ana Rossi (UnB) – e de um trecho de um texto de Milton Hatoum.

 

 

 

Newton Bignotto, escritor e professor titular aposentado de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais

Sandra Benites, indígena da etnia Guarani Nhandewa, curadora, professora de filosofia e de história, mestre e doutoranda em Antropologia

Charles P. Gomes, doutor em ciências política, escritor sobre temas do refúgio e das migrações internacionais, é pesquisador sênior da Fundação Casa de Rui Barbosa e diretor do CEPRI, clínica legal pro bono para Refugiados e Migrantes no Rio de Janeiro.

Patrick Chamoiseau, escritor, nascido na Martinica, premiado com o Goncourt, uma das vozes mais influentes do Caribe.

Benjamin Seroussi é curador, editor e gestor cultural, mestre em Sociologia e Gestão Cultural. Em São Paulo, dirigiu a programação do Centro da Cultura Judaica, foi curador associado da 31ª Bienal de São Paulo (2013-2014) e curador-chefe do projeto Vila Itororó Canteiro Aberto. Dirige hoje a Casa do Povo de São Paulo e o programa de intercâmbios COINCIDÊNCIA.

Michel Agier é antropólogo, escritor – focando a migração, exílio e fronteiras -, sobre diretor de estudos na École des Hautes Études en Sciences sociales (EHSS), diretor de investigação no Institut de Recherche pour le Développement (IRD) e membro do Centre d’Études des Mouvements Sociaux (CEMS/EHESS-CNRS). Liderou o programa Babels e esteve numa diretoria do Institut des Migrations (ICM).

Philippe Ollé-Laprune, escritor, codirigiu a agência Ad’Hoc (organizadora de eventos culturais como o Mercado da Poesia de Paris); chefiou o escritório do livro da Embaixada da França no México, fundou e dirigiu a Casa Refugio Citlaltepetl.

Catherine Wihtol de Wenden, escritora, professora, doutora em Ciência Politica, é diretora de pesquisa no Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS, CERI), com 30 anos de pesquisa sobre as migrações internacionais a partir da perspectiva da ciência política e do direito público. Presidiu o Comitê de Pesquisa de Migração da International Sociological Association; trabalhou em organizações internacionais como o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), o Conselho da Europa e a Comissão Europeia.

Debora Diniz, documentarista premiada – “Hotel Laide” é o oitavo dos nove filmes que já dirigiu –, antropóloga, escritora (ganhou o Prêmio Jabuti em 2017) professora de Direito na Universidade de Brasília, é fundadora da ONG feminista Anis – Instituto de Bioética, que atua com pesquisa, comunicação e litígio estratégico em defesa de direitos de mulheres e outras minorias. É Diretora Adjunta da International Planned Parenthood Federation / Western Hemisphere Region (IPPF/WRH) e professora visitante na Brown University Center for Latin American and Caribbean Studies (CLACS).

Milton Hatoum, escritor (“Dois irmãos”, “Relato de um certo Oriente”, entre outros) formou-se em arquitetura na Universidade de São Paulo, foi professor na Universidade Federal do Amazonas e professor-visitante na Universidade da Califórnia (Berkeley). Seus livros, publicados em 14 países, foram premiados no Brasil e no exterior. Também foi escritor-residente nas Universidades Sorbonne, Yale, Stanford e Berkeley. 

Mohammed ElHajji é Professor Titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e escritor. Seus temas são a questão migratória e seus correlatos culturais, identitários, étnicos e de gênero. Integra o corpo docente dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura (PPGCOM) e em Psicologia Social (EICOS), ambos da UFRJ Especialista em Migrações Transnacionais e Comunicação Intercultura; coordena o MITRA local – Máster Erasmus Mundus em Migrações Transnacionais –, o Fórum Anual de Migrações Transnacionais e o Simpósio de Pesquisa sobre Migrações.

Anne-Laure Flacelière, formada em museologia pela École du Louvre, dirigiu o Museu Robert Dubois-Corneau de Brunoy e é responsável pelo estudo e desenvolvimento da coleção do MAC VAL (museu de arte contemporânea do Val-de-Marne). Integrou a equipe da exposição “Persona grata”, no Musée National de l’Histoire de l’Immigration de Paris de outubro de 2018 a janeiro de 2019

João Guilherme Granja é Mestre em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco e Doutor em Direito, Estado e Constituição pela UnB. Foi diretor de Migrações do Ministério da Justiça. Especialista em Políticas Públicas do Governo Federal brasileiro (EPPGG) para as áreas de migrações, cidadania e nacionalidade, extradição, refúgio e asilo, assim como o Comitê Nacional para Refugiado, foi membro do Conselho Nacional de Imigração, o Conselho Nacional de Turismo entre outras instâncias. Fundou na Escola Nacional de Administração Pública, um grupo de pesquisa sobre administração pública e resposta a crises e fluxos humanitários; mantém um projeto sobre governança da integração local de migrantes em parceria com a Organização Internacional para as Migrações (OIM). Foi consultor do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados.

 

 

HOSPITALIDADE entre ética, política & estética

27—28·6·2019

Casa de Rui Barbosa – Rua São Clemente, 134 – Botafogo, Rio de Janeiro

Entrada franca

* Estudantes que desejem certificado de participação: enviar email para mathilde.albertelli@diplomatie.gouv.fr, com o CPF, para apresentação no local e retirada de certificado

Informações na Embaixada: mathilde.albertelli@diplomatie.gouv.fr

(61) 3222-3873 | fb.com/franceaubresil